O presidente da comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), confirmou a presença do chanceler Celso Amorim em reunião hoje, às 15h, para debater sobre o agravamento da crise política em Honduras.

O governo de facto de Honduras decretou, ontem, estado de sítio no país por 45 dias e ameaça expulsar diplomatas se Brasil não definir em 10 dias o status do presidente deposto, Manuel Zelaya, abrigado na embaixada brasileira na capital Tegucigalpa.

Eduardo Azeredo disse à Agência Estado que é preciso evitar “o uso político da embaixada brasileira”, e, para isso, o Brasil precisa “tomar decisões efetivas”.

“O Brasil está permitindo o uso da embaixada para fins políticos e isto não pode continuar”, disse o senador.