Lorenzo Riva.

Passarela shock com a mulher kamikaze; desfilam criações dos príncipes da alta costura. Sarly, o fascínio da bela; sedutoras com chicotes na passarela. Violentos e místicos os amores de Gattinoni. Lorenzo Riva dedica a Balenciaga a sua coleção.

Roma – Sarly, entre rigor e poesia, ante artesanal e fantasia, nasce a nova coleção da alta moda para outono-inverno. Para exaltar o seu ideal feminino, o maestro atinge a atmosfera em branco e preto da comédia de George Cukor The Women, na qual vêm declinadas todas as facetas da mulher, da femme fatal a Joam Crawford, das unhas pintadas de red jungle a boa e brava mulher doce Norma Shearer. A nova silhueta para o próximo inverno: ombros importantes, ?pantalones? largos – tailleurs e bolerinhos enriquecidos com bordados metálicos. Um certo gosto militar se mistura com o ?charm? dos detalhes românticos. Para o grande final, a maestria de Fausto Sarly se extrínseca em ?vestidos escultura?, das linhas limpas, todos declinados nas nuances do branco marfim que exaltam o romântico da sua mulher divina. Para Gattinoni, o amor interessado e mercenário é maculado e vistoso. Está entre o amor violento e folle.

Gattinoni.

Guilhermo Mariotto, estilista de Gattinoni, dedicou a sua coleção a emoção positiva e também negativa, mas o amor, para o resto do desfile, triunfa.

Desfila uma explêndida quantidade de vestidos dedicados ao universo feminino, que o costureiro conheceu na sua vida e que transmitiu os seus sentimentos. O amor folle e floreal, o amor mercenário é maculado, um pouco vulgar, como quem tem uma só fixação: o dinheiro. Depois tem o amor vendicativo, com o chapéu que esconde um olho. O amor místico é um chiffon, ?busto? bordado com cristais e espelhos. O amor interessado com ?pantalones?: bordados de ouro, mas eis os magníficos tailleurs pretos, camisas de organza com plissés, saias compridas… Muitas botas ?stretch?. O amor à ?primeira vista? é preto e creme, àquele apaixonado é uma sinfonia de vermelhos, plissados e rubis. Lorenzo Riva: ?Sinto-me a reencarnação de Balenciaga pela qual ele trabalhou.?

Alessandro Cannavo.

Os seus vestidos são frescos, as saias são largas, a costura é perfeita: femininas saias ?colpo de vento? e um pequeno ?baby doll?, quase um ?bustier?, desfila na coleção de Tony Ward, costureiro libanês que faz uma homenagem a ?camiciola? que tanto sucesso fez no filme de Kazan e Carol Baker. Os vestidos de Ward são um portento de elegância e os noiva suntuosos.

A mulher ?dandy? de Balestra sai em passarela de noite, junto ao seu ?alter ego?, a divina à Jean Harlow e provoca aplausos. A mulher global chic e ?word-troter? confirma que a ?couture? romana é internacionalíssima. Balestra viaja o mundo em lungo e largo e os seus vestidos de grandes festas estarão em Nova York em setembro. O azul especial que leva o nome do costureiro é já célebre no meio oriente.