O ex-presidente do Peru Alberto Fujimori (1990-2000) aceitou nesta quarta-feira (27) ser candidato ao Senado japonês pelo Novo Partido dos Cidadãos na eleição parlamentar de 29 de julho. A informação foi confirmada hoje pelo porta-voz de Fujimori, Carlos Raffo, no Congresso peruano. "Fujimori fez uma análise profunda e tenho certeza de que essa decisão representa um mundo de possibilidades para o Peru", afirmou Raffo.

O porta-voz disse ainda que o ex-presidente vai emitir amanhã um comunicado para explicar as motivações de sua decisão. Em entrevista à uma emissora de TV do Japão, Fujimori – que tem cidadania japonesa – disse que quer usar sua experiência como governante para resolver os problemas de diplomacia asiáticos. "Quero resolver os problemas com a Coréia do Norte e a questão dos seqüestrados", disse o ex-presidente.

Fujimori fugiu para o Japão em 2000 após seu governo ser atingido por um caso de corrupção. Em 2005, foi para o Chile, onde está, atualmente, em prisão domiciliar na capital chilena, em Santiago. O Peru quer extraditar o ex-presidente para processá-lo por desvio de fundos públicos e crimes contra os direitos humanos.

Hoje, cerca de 150 pessoas realizaram um protesto contra a decisão do ex-presidente na frente da Embaixada do Chile, em Lima, para pedir pressa na extradição de Fujimori. Muitos adversários políticos no Peru dizem que ele aceitou ser candidato no Japão para escapar da prisão no Peru.