Após um cerco de dois anos, afiliados da Al-Qaeda na Síria e outros insurgentes capturaram nesta quarta-feira a última base do Exército sírio na província de Idlib. De acordo com ativistas, com isso as forças do presidente Bashar Assad foram expulsas da província do noroeste do país.

A notícia é o mais recente revés para Assad na guerra civil síria, em seu quinto ano. O presidente admitiu derrotas, dizendo que o Exército teve de entregar algumas áreas ao norte para poder defender zonas mais importantes para o governo. A televisão estatal informou que os militares se retiraram da base aérea de Abu Zuhour e que as tropas abandonaram suas posições e foram realocadas.

Com isso, Idlib é a segunda das 14 províncias sírias a sair completamente do controle das forças oficiais sírias. Neste ano, grupos militantes capturaram a capital provincial, também chamada de Idlib, bem como outras cidades e vilas. No ano passado, os extremistas do Estado Islâmico tomaram Raqqa, onde declararam a capital provincial de mesmo nome a sede de seu califado na Síria e no Iraque.

O conflito sírio já matou mais de 250 mil pessoas desde março de 2011, quando os protestos inspirados na Primavera Árabe contra o governo da família Assad começaram no sul do país. As manifestações se transformaram em uma guerra civil, após a brutal repressão oficial dos protestos. O conflito gerou, neste verão local, um êxodo de refugiados sírios, tendo como destino outros países da região ou a Europa. Fonte: Associated Press.