O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, acusou hoje os Estados Unidos de buscarem criar tensões entre o Irã e as nações árabes, acrescentando que essa tentativa fracassará. “A América está tentando semear a discórdia entre xiitas e sunitas… eles querem criar tensão entre o Irã e os árabes… mas o plano deles fracassará”, afirmou Ahmadinejad na parada anual do Dia do Exército, onde os militares mostraram vários mísseis e aviões não tripulados feitos no próprio país. O Irã é um país persa, de maioria xiita.

“A América não é um amigo honesto e o histórico mostra que ela levanta espadas contra seus próprios amigos e aqueles que se sacrificaram pela América”, disse o presidente, em discurso transmitido ao vivo pela televisão estatal.

Ahmadinejad afirmou que o Irã é um “amigo próximo” das nações do mundo. Segundo ele, os líderes “sionistas” dos Estados Unidos não conseguirão salvar o “regime sionista” de Israel. O presidente iraniano ainda previu o surgimento de um “novo Oriente Médio”, não mais dominado por EUA e Israel.

Ontem, o Conselho de Cooperação do Golfo, que reúne seis países comandados por sunitas, pediu ao regime iraniano que pare de “interferir” na política da região. O conselho pediu ajuda da comunidade internacional e do Conselho de Segurança da ONU para evitar a “flagrante interferência iraniana”. O Conselho de Cooperação do Golfo reúne Bahrein, Kuwait, Catar, Omã, Arábia Saudita e Emirados Árabes.

O Irã havia criticado o envio de tropas sauditas ao Bahrein para ajudar na repressão a manifestantes xiitas, que são a maioria da população no país, que é liderado por sunitas. As informações são da Dow Jones.