O presidente da Hungria, Pal Schmitt, deixou o cargo nesta segunda-feira após revelações de que sua tese de doutorado de 1992 foi em boa parte copiada e de que suas credenciais científicas foram revogadas. Schmitt afirmou ao Parlamento que as acusações de plágio são mentirosas e declarou que elas prejudicam o país e o governo.

Schmitt foi eleito em 2010 para o cargo, que é principalmente cerimonial, para um mandato de cinco anos. Durante discurso na sessão plenária do Parlamento ele afirmou que estava renunciando porque uma “questão pessoal” sua estava dividindo do país.

Sua tese de doutorado foi revogada na semana passada depois que uma investigação da Universidade Semmelweis, em Budapeste, ter concluído que a maior parte de sua tese, sobre os Jogos Olímpicos Modernos, foi copiada dos trabalhos de outros dois autores.

Logo após a declaração de Schmitt, o partido governista Fidesz informou que planeja votar a aceitação da renúncia ainda nesta segunda-feira e que os legisladores devem escolher seu sucessor o mais breve possível. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.