Philippe Desmazes/AFP

O atacante alemão Thomas Müller assegurou nesta terça-feira que a Mannschaft, que goleou a Austrália por 4-0 no domingo, não tira vantagem da bola da Copa do Mundo, a ‘Jabulani’ da alemã Adidas, acrescentando que sua equipe não é a favorita.

“Uma partida de futebol começa sempre com um placar 0-0. Todas as equipes conseguiram se preparar com a Jabulani antes da Copa do Mundo”, explicou Müller em uma entrevista coletiva à imprensa.

“O fato de estarmos jogando com esta bola há várias semanas não muda muito as coisas. Não vou falar mais disto, é tão superficial, talvez uma desculpa para as equipes que não tiveram muito êxito em sua primeira partida”, acrescentou o jogador alemão de 20 anos, autor de um gol no domingo.

O Bayern, patrocinado pela Adidas, disputou a sua primeira partida do Campeonato Alemão com a “Jabulani”, muito criticada desde o início da Copa, no início de dezembro.

O zagueiro inglês Jamie Carragher havia afirmado na segunda-feira que a “Jabulani” dá vantagem à Alemanha porque seus jogadores a usaram na Bundesliga esta temporada.

Müller afirmou também que a seleção de seu país não é a nova favorita ao título do Mundial, mesmo com a goleada de domingo, e lembrou que os alemães ainda devem “trabalhar em seus pontos fracos”.

“Precisamos trabalhar em nossos pontos fracos e não acho que sejamos ‘A’ superequipe deste torneio”, considerou.

“Quando você joga bem, é o melhor e o mais forte, mas se perdermos por 2-0 para a Sérvia, a imprensa nos esquartejará, portanto, não se pode que exagerar”, insistiu.

“Começamos bem o torneio, mas ainda não fizemos nada. Não nos classificamos para as oitavas de final e não somos campeões mundiais”, acrescentou Müller, que marcou o seu primeiro gol como jogador da seleção contra a Austrália, em sua terceira partida com a camisa alemã. “Não vamos ganhar todas as nossas partidas por 4-0”, disse o atacante.