Praça de pedágio de São Luis do Purunã,
dominada por integrantes do MST.

O movimento dos agricultores rurais sem terra (MST), prosseguiu com as ocupações nas praças de pedágio de todo o Estado na tarde de hoje. As ações já atingiram treze das 26 praças de pedágio.

O MST protesta desde quarta-feira contra o aumento do valor da tarifa de pedágio em quatro concessionárias (Viapar, Econorte, Rodonorte e Ecovia) que foi determinado por uma ação judicial na última sexta-feira.

As últimas praças ocupadas pelo MST foram Tibagi (Rodonorte), Mandaguari e Floresta (Viapar), Porto Amazonas (Caminhos do Paraná) e (Ecovia).

As demais ocupações ocorreram nas praças de Presidente Castelo Branco, Campo Mourão e Arapongas (Viapar); Imbaú, São Luiz do Purunã, Mauá da Serra e Carambeí (Rodonorte); Jataizinho (Econorte) e Porto Amazonas (Caminhos do Paraná).

A ação dos militantes na tarde de hoje foi a mesma adotada nas demais praças. Eles cortaram a fiação das câmaras de segurança e liberaram as cancelas. 

Na maioria das praças, a justiça já concedeu liminar que reintegração de posse.

(Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)