Peritos do Ministério Público (MP) estadual estiveram hoje no Clube Privê Cinco Estrelas, no Rio, onde funcionava a rinha de galos em que o publicitário Duda Mendonça foi preso pela Polícia Federal (PF) na noite de quinta. Eles fotografaram os 83 galos que estão no local e registraram suas características. Os peritos vão elaborar um inventário e os dados integrarão o inquérito sobre o caso. O clube fica em Jacarepaguá, zona oeste.

Duzentas pessoas assistiam às brigas de galo quando a rinha foi descoberta pela PF. Duda e outras cinco pessoas, entre as quais o vereador do Rio Jorge Babu (PT), ficaram presos por quase 20 horas na sede da PF no Rio. Acusados de serem sócios e organizadores do clube, eles foram soltos na noite de sexta, após pagarem fiança de R$ 1 mil, cada, e responderão em liberdade provisória pelos crimes de formação de quadrilha, maus-tratos a animais e apologia ao crime. Somadas, as penas podem chegar a sete anos e meio de prisão.

Um dos objetivos do cadastramento dos galos, cujo valor pode alcançar R$ 30 mil por ave, é evitar que sejam trocados. Os animais estão sob tutela do Estado, e o responsável pelas aves é o tratador José Carlos Lateça da Silva. O policial federal Marcelo Guimarães, da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente e Patrimônio Histórico (Delemaph), disse que os animais podem ser devolvidos aos donos, que passariam a ser os fiéis depositários. Em caso de morte, eles deverão avisar a PF para que uma perícia determine a causa.

As aves ficam na “baia”, um galpão nos fundos do sítio, equipado com ar-condicionado. Cada ave é isolada em um compartimento, o “apartamento”, para que não haja briga. “Estamos avaliando o estado de saúde dos galos”, contou o veterinário Marcos Nascimento, perito convidado do MP.

Em uma prancheta, Nascimento anotava as características de cada animal. Entre os itens observados constavam a raça, plumagem, cor, idade, postura, estado nutricional, da cabeça, pescoço, papo e tórax.

Os números das anilhas, pequenos anéis de identificação colocados nas asas, também foram registrados, bem como os nomes dos responsáveis técnicos e dos donos.