Ribeirão Preto (AE) – O Ministério Público Estadual (MPE) abriu ontem (13) inquérito civil para investigar uma suposta subavaliação de dois imóveis adquiridos pelo ministro da Fazenda, Antônio Palocci, nos anos 1990. A medida foi tomada após a representação encaminhada pelo vereador Nicanor Lopes (PSDB). Os promotores querem respostas convincentes sobre as transações comerciais e, para isso, o primeiro passo é pedir aos dois cartórios de registros de imóveis os documentos.

Em 1992, Palocci adquiriu um apartamento que foi registrado por R$ 57,70 (em valores correspondentes à conversão da moeda da época). O valor venal da época era R$ 25.294,17. Quatro anos depois, Palocci vendeu o apartamento por R$ 42.352. Em 1996, ele comprou uma casa por R$ 858,18 (também em valores convertidos) e valor venal de R$ 54.651,83. Os impostos foram pagos usando-se o cálculo dos valores venais, mas os promotores querem saber os motivos dos registros dos valores tão baixos em relação aos valores comerciais da época.