Treze motoristas do Corpo de Bombeiros do Paraná serão cedidos em caráter temporário e emergencial para trabalharem no Instituto Médico Legal (IML) até que seja efetivada a contratação dos novos funcionários para o Instituto. Além disso, a Secretaria da Segurança Pública também contratará, por cerca de dez dias, o serviço de digitadores para normalizar a confecção de laudos no Instituto Médico. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, por meio de uma resolução assinada pelo secretário de Estado da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, que se reuniu pela manhã com o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, Mário Yoshio Wako, e o diretor do IML, Hélio Bonetto.

"O Governo do Paraná está investindo para resolver o problema histórico do IML, resultado do descaso de governos anteriores. Com esta medida nós resolvemos imediatamente o problema até que as novas contratações sejam efetivadas no começo de janeiro", disse Bonetto. Os motoristas cedidos pelo Corpo de Bombeiros já começam a trabalhar, nesta quinta-feira. Oito ficarão em Curitiba e os outros serão enviados para os Institutos de Guarapuava, Ponta Grossa, Londrina, Umuarama e Pato Branco. Os digitadores devem começar a trabalhar já nesta semana.

Os dois dos cinco carros usados para o transporte de corpos, em Curitiba, que estão no concerto, serão entregues ao IML até este final de semana. "Assim ficaremos com os serviços completamente normalizados, resolvendo definitivamente a situação", garantiu Bonetto.

Contratação

Na quarta-feira, o governador Roberto Requião autorizou a contratação de 42 funcionários em caráter emergencial para resolver a situação da terceirização dos serviços no IML. A previsão é que os novos funcionários sejam efetivados e comecem a trabalhar no começo de janeiro.
O contrato será feito por 180 dias. Depois disso, os candidatos remanescentes de um concurso já realizado pelo Governo do Paraná assumirão definitivamente as vagas. Ao todo serão 14 motoristas e 28 auxiliares administrativos.