Novembro foi o melhor mês em vendas para a indústria automobilística este ano. Embalada pela queda nas taxas de juros que permite a redução das prestações e prazos mais longos para o financiamento, as montadoras venderam 182.770 veículos, incluindo automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Foi o melhor novembro da história. Em relação a outubro, os negócios cresceram 4,25%

Na comparação com igual mês de 2005, o aumento foi de 15,4%, segundo dados de licenciamentos dos órgãos de trânsito no período. No acumulado de janeiro a novembro, a indústria vendeu 1.722,9 mil veículos novos, superando o volume de todo o ano passado, de 1.714,6 mil unidades.

Em vendas mensais, o melhor resultado anterior foi o de dezembro do ano passado, com 183,6 mil unidades. Só o segmento de automóveis e comerciais leves teve vendas de 174,2 mil unidades em novembro, 4,3% acima do volume vendido em outubro e 15,3% melhor do que no mesmo mês de 2005. No ano, foram vendidas 1.638 9 mil unidades nesse segmento, volume 13,3% superior ao do mesmo período do ano passado.

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Rogelio Golfarb, disse que a queda dos juros tem se refletido mais rapidamente no mercado de carros do que em outros setores. Cerca de 70% das vendas de veículos são financiadas e há lojas que oferecem até 70 meses para parcelamento.

O executivo também ressaltou que a indústria automobilística tem dado sua contribuição para o crescimento do País, ao comentar a contradição entre o que ocorre no setor e a economia como um todo, que não consegue deslanchar no Produto Interno Bruto (PIB).

"O setor cresce acima da média do País", afirmou. O PIB, até outubro, cresceu 2,3% e a produção das montadoras, no mesmo período, aumentou 4,5%.

A previsão da indústria é de produzir até dezembro volume recorde de 2,64 milhões de veículos, mantendo o crescimento de 4 5%. Já as vendas de veículos devem ter acréscimo de cerca de 10% e praticamente empatar com o recorde de 1997, de 1,9 milhão de unidades.