O Ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse hoje que, para evitar tragédias como a rebelião na Casa de Custódia do Rio de Janeiro, é preciso ?desmontar as quadrilhas que vivem tanto dentro, quanto fora da cadeia?. Segundo o ministro, isso só é possível ?trabalhando com inteligência, com o mapeamento dessas quadrilhas e fazendo a repressão dura que se precisa fazer, além de combater a lavagem de dinheiro?.

Marcio Thomaz Bastos, que está em Fortaleza participando da XIV Conferência dos Ministros da Justiça dos Países Íbero-Americanos, lamentou a morte de um refém na rebelião da Casa de Custódia, considerando o episódio ? uma tragédia?.

O ministro voltou a dizer que ?não há solução mágica?, não basta a mudança da lei, como se isso pudesse mudar a realidade. ” O que nós temos que fazer é partir dessa constatação simples de que não existe ‘tiro de canhão’. O que é preciso, é ir transformando lentamente e isso envolve uma cultura de penas alternativas, a informatização das prisões, treinamento de pessoas?.

Para o ministro, é preciso ainda ?criar um mecanismo eficiente para evitar que as penas fiquem vencidas e que o preso fique na cadeia depois que a pena venceu?, o que, segundo ele, funciona como ?fermento e caldo de cultura das rebeliões?.