A ministra das Minas e Energias, Dilma Rousseff conheceu a proposta do Paraná que melhora e acelera o licenciamento ambiental para a construção de usinas hidrelétricas. Ela esteve com o governador Roberto Requião na sexta-feira. “Estamos fazendo um zoneamento energético no Paraná que avalia as condições ambientais para a construção de usinas. Assim, quando pretenderem construir uma usina nova no estado já se vai saber, pelo plano diretor e pelo zoneamento ecológico das bacias, onde se pode ou não construir”, explicou Requião.

A ministra considerou a proposta como uma solução para o licenciamento, a ser adotada inclusive por outros estados. “É uma proposta interessante que deve ser incluída na série de discussões a respeito do licenciamento das usinas hidroelétricas”, avaliou. Ela ressaltou que 45 usinas no país apresentaram impedimentos tanto relacionados às questões ambientais, como de financiamento e de contratação. “Os problemas de financiamento e contratação já foram praticamente solucionados, mas ainda existem os impedimentos relacionados com o licenciamento tanto pelo Ibama como pelos institutos ambientais estaduais”, esclarece.

Dilma Rousseff explicou que o crescimento do país gera aumento do consumo de energia, e que o sistema nacional deve estar preparado para atender este aumento na demanda. “Qualquer melhoria nas taxas de crescimento gera melhor distribuição de renda e em conseqüência demanda gerada pela aquisição de eletrodomésticos e pelo próprio desenvolvimento da indústria. Temos que providenciar que haja energia suficiente para o país crescer”, afirmou.

A ministra ressaltou ainda que o consumo per capita de energia acompanha o crescimento do Produto Interno Produto (PIB) na seguinte razão: para cada ponto do PIB, o consumo aumenta 1,1 kilowatt por consumidor.

A visita, na noite de sexta-feira, à residência oficial do governador foi acompanhada pelo presidente da Copel, Paulo Pimentel, e pelo presidente da Itaipu Binacional, Jorge Samek.