Brasília – O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista faz nesta terça-feira (19) uma panfletagem nas fábricas contra o aumento dos salários dos parlamentares. Segundo secretário-geral do sindicato, Rafael Marques, a ação do sindicato foi motivada pela indignação da categoria demonstrada em várias reuniões. O aumento também é alvo de protesto das centrais sindicais no Congresso Nacional, em Brasíília.

Amanhã, os sindicalistas pretendem distribuir panfletos nas principais ruas de comércio dos municípios do ABC e também nos terminais de transporte público da região. A intenção é mobilizar o maior número possível de pessoas contra o aumento dos salários dos parlamentares que os sindicalistas consideram abusivo.

Além disto, Marques afirma que até o final da semana a categoria deverá promover a paralisação de algumas fábricas em forma de protesto. Segundo ele, as mobilizações acontecerão durante o turno da manhã quando os trabalhadores farão assembléias na porta das fábricas para demonstrar repúdio ao ato dos parlamentares.

Rafael Marques indica que os metalúrgicos são favoráveis a reajustes para qualquer categoria, desde sejam respeitados os mesmos princípios válidos para qualquer trabalhador brasileiro, ou seja, que se use a inflação acumulada no período como referência para o aumento salarial.

?As categorias tem se organizado e conseguiram neste primeiro mandato do presidente Lula, o reajuste com a reposição integral do INPC mais algum ganho real com muita luta e negociação? diz o sindicalista. De acordo com o secretario executivo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a fábrica da Ford e algumas autopeças devem ser as principais afetadas pelas paralisações.

A entidade pretende ainda estimular a participação da categoria através de cartas e e-mails aos parlamentares questionando a aprovação do aumento de 91% dos salários. Enquanto isto, o departamento jurídico da entidade esta estudando uma forma de entrar na justiça pedindo a inconstitucionalidade do aumento.