Brasília – No dia 10 de junho, crianças com menos de cinco anos têm um compromisso: ir ao posto de saúde mais perto de casa para se vacinar contra a poliomielite. Nesta primeira etapa da campanha, o Ministério da Saúde espera imunizar 17 milhões de crianças.

A campanha tem como tema O seu filho quer duas gotinhas da sua atenção. Apesar da doença estar erradicada do país desde 1989, a coordenadora geral do Programa Nacional de Imunização do ministério, Luiza Marilac, destacou a necessidade da vacinação para manter as crianças livres da paralisia infantil.

Em entrevista à Rádio Nacional, Luiza contou que em alguns municípios brasileiros têm havido uma queda no percentual das crianças vacinadas, principalmente aqueles localizados na região Norte onde o acesso a alguns lugares é difícil e só é feito a barco ou por avião.

"Há municípios que estão com dificuldade de alcançarem pelo menos 95% de cobertura vacinal em Tocantins, Rondônia, Roraima, Minas Gerais, além de Amazonas, Alagoas, Rio Grande do Sul", afirmou. "São municípios desses estados que tanto na campanha como na vacinação de rotina têm alguma dificuldade, mas nós acreditamos sim, que eles são capazes de superar essas dificuldades."

A coordenadora lembrou que em alguns países a doença ainda não foi erradicada. E ressaltou a importância da vacinação, pois segundo ela, se uma criança que não for vacinada estiver próxima à outra portadora do vírus há o risco da transmissão. "É importante estarmos aqui lembrando a toda a população que a doença, a paralisia infantil ainda está presente em alguns outros países de outros continentes, na Ásia, na África, no Mediterrâneo oriental", disse.

Serão instalados 117 mil postos fixos e volantes em todo país. Eles estarão funcionando de 8h às 17h.