As projeções do mercado financeiro para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano caíram de 3,81% para 3,78% em pesquisa semanal do Banco Central (BC) divulgada nesta segunda-feira (23). Esta foi a segunda queda seguida destas previsões, que estavam em 3,87% há quatro semanas. A pesquisa reúne as opiniões de mais de uma centena de instituições financeiras, informadas ao BC toda semana.

Nas instituições Top 5 (as cinco com maior índice de acerto das previsões), as projeções de IPCA para este ano ficaram estáveis em 3,80% no cenário de médio prazo, porcentual que é o mesmo projetado há quatro semanas.

Nas duas situações, as estimativas de IPCA para este ano, que é utilizado como índice oficial, continuam abaixo da meta central de 4,50% determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). A meta de inflação tem uma margem de tolerância de dois pontos porcentuais, para cima ou para baixo.

Abril e maio

As projeções de IPCA para o mês de abril continuaram estáveis em 0,30% pela 11ª semana consecutiva. Para o próximo mês de maio, as projeções de IPCA recuaram de 0,21% para 0,20%. Esta foi a segunda redução seguida dessas previsões, que estavam em 0,24% há quatro semanas.

2008

Para 2008, as projeções de IPCA prosseguiram estáveis em 4% pela 14ª semana consecutiva. Nas instituições Top 5 as previsões de IPCA para o próximo ano também não mudaram e continuaram em 4% no cenário de médio prazo. Há quatro semanas, estas previsões estavam em 4,41%.

Nos dois casos, as estimativas de IPCA também seguiram abaixo da meta central de 4,50% já fixada pelo CMN para o próximo ano. As projeções suavizadas de IPCA em 12 meses à frente caíram de 3 64% para 3,59%. Esta foi a quinta queda consecutiva destas previsões, que estavam em 3,73% há quatro semanas.

Preços administrados

As projeções de reajuste de preços administrados neste ano, por sua vez, ficaram estáveis em 3,50%. A estabilidade pôs fim a uma seqüência de quatro semanas seguidas de queda destas previsões. Há quatro semanas, as projeções de aumento dos preços administrados para este ano estavam em 3,70%.

Para 2008, as estimativas de alta dos administrados ficaram estáveis em 4% pela 23ª semana consecutiva.