Uma rodada de negócios entre produtores de regiões próximas a Campina Grande do Sul e comerciantes do Mercado Municipal inaugurou nesta quarta-feira (6) uma nova modalidade de integração da região metropolitana, na área do abastecimento.

Preço, embalagem e qualidade foram os principais temas da reunião. Os acertos finais serão feitos na próxima semana. Os produtores rurais ofereceram a proposta de comercialização do caqui convencional e orgânico.

Promovida pela prefeitura para aproximar e integrar comerciantes de produtores rurais, a reunião contou com a participação de técnicos da Emater, do Serviço de Aprendizagem Rural (Senar), da Secretaria de Abastecimento de Curitiba e a Associação dos Comerciantes do Mercado Municipal (Acesme).

"A idéia é aproximar quem produz de quem vende para que o maior beneficiário desse contato seja o consumidor, que vai ganhar em preço e qualidade", avaliou o diretor de Unidades de Abastecimento da Secretaria, Luiz Gusi

Já o presidente da Acesme, Mário Yamasaki, sugeriu promover dentro do Mercado a degustação da fruta, com a possibilidade de realizar o pré-lançamento da Festa do Caqui, que acontecerá no início de maio em Campina Grande do Sul.

Além da degustação, a idéia é promover a fruta agregando informações nutricionais e os derivados do caqui. "A parceria firmada hoje com vistas ao futuro", declarou Yamasaki.

Campina Grande do Sul é o maior produtor de caqui do Estado. Esse ano está prevista a colheita de 2.800 toneladas da fruta convencional e 130 de caqui orgânico. Segundo o chefe local da Emater em Campina Grande do Sul, Ricardo Lupasbazewski, a produção de caqui orgânico aumenta a cada ano numa média de dez toneladas.