As projeções do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim do ano caíram de R$ 2,10 para R$ 2,06 por dólar, em pesquisa semanal do Banco Central (BC) divulgada na manhã desta segunda-feira (23). Há quatro semanas, estas previsões estavam em R$ 2,12.

As estimativas de taxa média de câmbio para este ano recuaram de R$ 2,08 para R$ 2,07. Esta foi a segunda queda seguida destas previsões, que estavam em R$ 2,12 há quatro semanas. Nas instituições Top 5 (as cinco instituições com maior índice de acerto das previsões), as projeções de câmbio para o final do ano ficaram estáveis em R$ 2,00 no cenário de médio prazo.

Abril e maio

Para o fim de abril, as estimativas de câmbio ficaram estáveis em R$ 2,03. A estabilidade pôs fim a uma seqüência de três semanas seguidas de queda destas previsões, que estavam em R$ 2 10 há quatro semanas. Para o final de maio próximo, as projeções de câmbio recuaram de R$ 2,04 para R$ 2,03. Esta foi a sexta queda consecutiva destas estimativas, que estavam em R$ 2,10 há quatro semanas.

2008

As previsões de câmbio no final de 2008 recuaram na mesma pesquisa do BC de R$ 2,15 para R$ 2,13. Esta foi a terceira queda seguida destas projeções, que estavam em R$ 2,20 há quatro semanas.

As previsões de taxa média de câmbio para o próximo ano recuaram ao mesmo tempo, de R$ 2,13 para R$ 2,11. Esta foi a quinta queda consecutiva destas estimativas, que estavam em R$ 2,18 há quatro semanas. Nas instituições Top 5, as estimativas de câmbio para o fim do próximo ano recuaram de R$ 2,12 para R$ 2,05 por dólar no cenário de médio prazo.

Taxa de juros

As projeções do mercado financeiro para a taxa de juros Selic (taxa básica da economia brasileira) no fim do ano ficaram estáveis em 11,25% ao ano. Há quatro semanas, estas previsões estavam em 11,50% ao ano.

As estimativas de taxa média de juros para este ano também não mudaram e prosseguiram estáveis em 12,13% pela segunda semana consecutiva. Há quatro semanas, estas previsões estavam em 12 16%.

2008

Para o final de 2008, as projeções de juros não se alteraram e prosseguiram estáveis em 10,50% pela décima semana seguida. As estimativas de taxa média de juros para o próximo ano, em contrapartida, recuaram de 10,90% para 10,83%. Há quatro semanas estas projeções estavam em 10,95%.