A Secretaria do Meio Ambiente, através do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), divulgou nesta quarta-feira, o segundo boletim de balneabilidade, que apontou novamente nove pontos impróprios para banho no litoral do estado.

Permanecem impróprios os quatro pontos localizados em Antonina e Morretes. A análise aponta a Ponta da Pita, Rio Nhundiaquara no Porto de Cima e Largo Lamenha Lins e no rio Marumbi próximo à estrada Anhaia.

Na Ilha do Mel, dos cinco pontos avaliados, dois estão impróprios na praia de Encantadas, sendo um 130 metros à esquerda do trapiche e 250 metros à direita do trapiche. Em Matinhos, apenas o ponto localizado a frente do mercado de pescados está impróprio para banho. Já em Guaratuba está proibido o banho 200 metros à direita do rio Prainha e em Caieiras na direção da rua Frederico Nascimento.

De acordo com o presidente do IAP , Rasca Rodrigues, não houve diferença significativa entre as duas análises devido ao pequeno intervalo de tempo entre as coletas e reduzido número de turistas no litoral paranaense.

"A tendência é que, com o aumento no fluxo de turistas e aliado as condições do tempo, o número de pontos impróprios seja maior", disse Rasca.

A diferença desta avaliação para a anterior consiste na queda do conceito de excelente para satisfatório na qualidade da água na Praia do Farol, Ilha do Mel e de excelente para bom em Guaratuba na praia de Caieiras, Brejatuba ? Rua Marechal Deodoro e no balneário de Coroados 100 metros à esquerda do rio Saí.

Em outros dois pontos houve melhora na qualidade da água, sendo um deles em Ipanema na Rua Sergipe e outro no balneário de Gaivotas o ponto localizado na Rua Padre Osvaldo Gomes.

Os resultados das análises serão divulgados todas as quartas-feiras durante 12 semanas. A Secretaria do Meio Ambiente também estará disponibilizando os boletins em seu portal através do endereço www.pr.gov.br/meioambiente.

O IAP estará distribuindo ainda, semanalmente, cerca de 12 mil folhetos, sendo que o número de folhetos sobe para 30 mil no feriado do Ano Novo e para 50 mil durante o carnaval.

Este ano, ao invés de placas, serão colocadas bandeiras com mastros altos para aumentar a visibilidade na orla. Além disso, o IAP fará um trabalho de "convencimento" aos turistas e moradores para que não entrem nos locais indicados como impróprios para banho.