O ministério da Educação (MEC) calcula que fará 250 convênios com escolas e investirá cerca de R$ 20 milhões em seus projetos para educação complementar em 2005. Em 2004 foram firmadas 175 parcerias entre o ministério e as escolas, que receberam R$ 16 milhões.

Hoje (02) e amanhã, técnicos das secretarias estaduais de educação de mais de 100 municípios do país e representantes de organizações não-governamentais estão reunidos em Brasília para conhecer as experiências bem-sucedidas nessa área em sete municípios.

Ações educacionais complementares são atividades artístico-culturais e esportivas desenvolvidas na escola, no turno oposto ao das aulas. Há cerca de um ano, o MEC apóia financeiramente projetos que incluem oficinas de pintura, cerâmica, bijuterias, aulas de música, reforço nas disciplinas, teatro, educação, ambiental e informática.

O secretário-executivo adjunto do MEC, Jairo Jorge, explica que os projetos em desenvolvimento envolvem cerca de 1,1 milhão de pessoas, 231.351 famílias, 12.286 professores e 3.607 escolas em todo o país.

Em Natal, no Rio Grande do Norte, onde ainda são comuns problemas como a exploração do trabalho infantil e abuso sexual de crianças e adolescentes, a secretaria municipal de educação começa a implantar o conceito de escola integral na região. São seis mil crianças participando de oficinas de dança, teatro e capoeira. A educadora Telma Medeiros diz que o projeto já mudou a vida das crianças.

"Já observamos uma elevação na auto-estima, as crianças se sentem importantes, se apresentam para os pais, para as mães. Tivemos também um resultado muito positivo em relação ao abandono, já que elas se mostram mais motivadas e receptivas à escola, e isso tudo tem sido muito favorável para a linha do projeto".