O trabalho de recuperação e melhoria dos bairros que integram a Regional Matriz poderá contar com a participação das entidades sociais sediadas na região. A parceria foi proposta pelo administrador regional Omar Akel, num encontro realizado nesta semana com dirigentes de cerca de 70 entidades sociais e representantes da Associação Comercial do Paraná (ACP).

Omar Akel apresentou o trabalho que será desenvolvido pela Matriz nos primeiros 180 dias da gestão do prefeito Beto Richa. "As instituições instaladas nos 18 bairros que formam a Matriz, do Jardim Social ao Parque Barigüi, e do Ahu ao Prado Velho, podem prestar importante serviço para fazer da região central de Curitiba um espaço ainda melhor", disse Akel.

"A regional Matriz vem se mostrando receptiva às idéias apresentadas por entidades que representam o setor produtivo", disse Jacques Rigler, representante do Sindicato de Hotéis e Bares e do programa Centro Vivo, coordenado pela ACP. Ele também é presidente da "Rua das Flores", entidade que congrega comerciantes da rua que é o principal cartão de visitas de Curitiba.

A Regional quer atuar em parceria com as entidades sociais em inúmeras frentes, desde o encaminhamento de usuários de drogas e atendimento às pessoas em situação de risco, até indicando e propondo soluções para outros problemas como limpeza de bueiros, troca de pavimento de calçadas e roçadas de terrenos.

Omar Akel explicou que a regional, junto com a Secretaria Municipal do Urbanismo, revisará o funcionamento do comércio ambulante. Também tratará da regulamentação das caçambas usadas em locais de obras. "Elas atravancam as ruas ou calçadas. A maioria não tem faixas refletivas, provocando muitas vezes acidentes à noite", explicou.

Em conjunto com a Secretaria do Meio Ambiente, a Regional cuidará da remoção de árvores em algumas regiões e plantio de novas mudas. Na arborização adotada há cerca de 30 anos faltou cuidado com o tipo de vegetação, o que fez com que as raízes estragassem o leito de ruas, calçadas e até fundações de imóveis.