Victor Soares / ABr
Ministra Marina Silva discursa no
Fórum Social Mundial, em Porto Alegre.

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, reiterou que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva manterá um posição de cautela em relação aos alimentos transgênicos e que a liberação com fins comerciais “não está colocada no cenário da atual política brasileira”.

Após seu pronunciamento no Fórum Social Mundial, Marina falou com os jornalistas e explicou que o governo não é nem ideológica nem politicamente contra os alimentos geneticamente modificados. “Trata-se apenas de uma questão de biossegurança”, afirmou, “já que não se sabe os danos à saúde e ao meio ambiente que podem decorrer do consumo e da produção”, observou.

A ministra afirmou que a pesquisa poderá continuar a ocorrer no Brasil, desde que esteja dentro das regras. “Neste governo, vai prevalecer o princípio da precaução”, disse.

Em relação à sugestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Davos, de que seja criado um fundo mundial contra a pobreza e a fome, Marina afirmou que se trata de uma necessidade para o planeta. “É uma forma de evitar a divisão social do mundo em seres humanos de primeira e seres humanos de segunda, que já começamos a ver hoje em dia com a exclusão social.”

A ministra defende que os países ricos têm de criar essa oportunidade de inclusão social para os 2 bilhões de pessoas abaixo da linha de pobreza no mundo.