O empresário Marcos Valério deu início a seu depoimento hoje (9) na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Compra de Votos. Ele é apontado como operador do suposto esquema de pagamento de mesadas a parlamentares, o chamado "mensalão".

Marcos Valério começou o depoimento pedindo desculpas "ao Brasil e aos parlamentares" por ter omitido informações na CPMI dos Correios, em seu primeiro depoimento, no dia 6 de julho. Ele disse que como os empréstimos foram para um partido, estava esperando que esse partido se pronunciasse sobre o assunto. Na Procuradoria Geral da República, Marcos Valério teria confirmado que os empréstimos foram para o PT.

Ele disse ainda que vai contar hoje, durante o depoimento, todos os fatos e reuniões que presenciou, mas que muitas vezes não terá provas a apresentar.

O empresário, protegido por um habeas corpus emitido pelo Supremo Tribunal Federal, depõe como investigado e não como testemunha. Assim, ele não é obrigado a responder as perguntas dos parlamentares.