Dezessete pessoas foram presas hoje durante um protesto antiguerra realizado próximo à sede da Organização das Nações Unidas (ONU), onde o inspetor-chefe de armas da ONU, Hans Blix, estava informando o Conselho de Segurança do resultado de seu relatório sobre o programa de desenvolvimento de armas de destruição em massa em solo iraquiano.

A rua onde se encontra a sede da ONU em Manhattan recebeu mais de 300 pessoas em aproximadamente uma hora de protesto, informou o comando da polícia local.

As pessoas mostravam placas com as frases: “Deixem os inspetores trabalharem” e “Não à guerra do petróleo de Bush”.

Os dezessete manifestantes foram presos por desordem e má conduta, informou a polícia.

“Esta guerra será realizada por culpa do petróleo e sobre quem vai dominá-lo na região do golfo [Pérsico]. Esta guerra deixará o mundo menos seguro e não mais seguro. Isso só vai provocar ainda mais ódio nas pessoas que são contra o que o governo norte-americano está fazendo”, disse Michael Ratner, presidente do Centro para os Direitos Constitucionais, grupo baseado em Nova York.