Três servidores do Ministério da Previdência foram demitidos hoje (4) por fraudes. Segundo o Ministério, as demissões foram casos isolados de servidores que tentaram fraudar a concessão de pensões. No caso da agente administrativa Vera Sueli Ramos, que trabalhava em Mato Grosso do Sul, a demissão foi por causa de uma tentativa de facilitar a pensão por morte do pai, em favor da irmã.

O agente de vigilância Eduardo da Silva Barros, da Bahia, foi demitido por facilitar a aposentadoria. Ele aumentava o tempo de contribuição dos segurados para atingir o tempo mínimo. O último caso foi a agente administrativa Luíza Vanis Guedes da Silveira, do Rio Grande do Sul. Junto com o marido, Luíza facilitou a aposentadoria de 10 pessoas e chegou a receber propina de R$ 8 mil.

No ano passado, o Ministério da Previdência Social demitiu 62 servidores.