O líder do PFL na Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ), criticou hoje a postura do presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), na condução das negociações para que se feche uma aliança entre os dois partidos na próxima eleição.

"Espero que o senador Tasso Jereissati volte do exterior com mais tranqüilidade para conduzir o processo político entre o PSDB e o PFL. As últimas declarações dele são infelizes e sem educação", afirmou, fazendo referência ao bate-boca do presidente nacional do PSDB com o deputado Pauderney Avelino (PFL-AM) e à declaração de que o prefeito do Rio, Cesar Maia (PFL), seria "muito difícil" na discussão para o fechamento do acordo entre as legendas.

"Mais um erro daquele será difícil o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decolar, se a cada momento o presidente do partido faz declarações que não são da posição de um presidente, mas de um político, isoladamente."

Rodrigo Maia, que é filho de Cesar Maia, lembrou que, em 2002, o grupo político deles apoiou a candidatura do prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), a presidente até o último momento.

"Na hora que ele (Jereissati) faz crítica ao prefeito do Rio, dizendo que o prefeito é muito difícil, ele tem de lembrar da lição de 2002. Que nós, no Rio, ficamos com Serra até o final e muitos políticos tucanos abandonaram e traíram o então candidato", disparou.