O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os ministros da Fazenda, Antonio Palocci, da Previdência, Ricardo Berzoini, e da Casa Civil, José Dirceu, estão reunidos neste momento, no Palácio do Planalto, com cerca de 40 sindicalistas, representantes de 100 centrais sindicais, para discutir o aumento do salário mínimo. No grupo, estão Paulo Pereira da Silva, da Força Sindical, Luiz Marinho , da CUT, Antônio Neto, da CGT, além dos deputados federais Vanessa Grazziotin (PC do B/AM), Jamil Murad (PC do B/SP) e Vicente Paulo da Silva (PT-SP).

O cerimonial do Palácio do Planalto teve que abrir uma exceção aos sindicalistas, que estavam de bermuda e camiseta. Para entrar no Palácio é obrigatório o uso de terno e gravata. Os deputados tiraram suas gravatas para vestirem a camiseta confeccionada pelos sindicalistas, pedindo reajuste do mínimo.

"Está certo que o salário mínimo vai ser de R$ 300,00 só não está definido ainda se começa a vigorar em janeiro ou em maio", disse Marinho. Cerca de 1000 sindicalistas fizeram uma manifestação na porta do Palácio do Planalto, antes de serem recebidos pelo presidente. Eles participam da Marcha do Salário Mínimo.