Natal – Luiz Inácio Lula da Silva assumiu, nesta segunda-feira à noite, durante comício em Natal, vários compromissos que promete cumprir, se eleito presidente. Um deles é incentivar as empresas a dar emprego aos jovens com R$ 200,00 por vaga oferecida.

Prometeu também que, já em seu primeiro ano de governo, nenhuma criança que curse o ensino fundamental vai deixar de receber uniforme e material escolar para poder ir à escola decentemente.

Lula criticou o aumento dos juros, decidido nesta segunda-feira pelo Copom, afirmando que nenhum país do mundo vai para a frente se as taxas de juros do governo para os banqueiros são maiores do que as taxas de lucro de uma empresa que produz. Ele disse ser necessário uma política agressiva de emprego e que, depois de 8 anos de governo Fernando Henrique Cardoso, o Brasil andou para trás.

Lula pedia aos empregados e desempregados que levantassem as mãos, assim como aos jovens sem emprego e os que não cursam universidade por falta de dinheiro. Os empregados foram minoria. “O que não investirmos em emprego, em breve terá que ser investido em cadeia, o que será muito mais penoso para o Estado brasileiro”, afirmou, vinculando a falta de perspectiva e renda com a marginalidade.

Lula também assumiu o compromisso de, antes da posse e já com o ministério indicado, levar todos os seus auxiliares ao Nordeste e pegar um ônibus para que todos saibam o que é o semi-árido. Para que cada um, cada vez que tenha de tomar uma decisão, ou pegar uma estatística, saiba que por trás de cada número existe uma mulher, uma criança e um chefe de família muitas vezes desesperado.

Lula frisou que o País não pode ser governado só pela razão, mas também com o coração, com sentimento. E garantiu que, ao contrário do atual governo, que só reuniu os governadores duas vezes para discutir dívida, ele vai fazer encontros constantes com governadores e prefeitos de capitais para discutir o que fazer em cada Estado e como combater, por exemplo, a violência urbana.

Ao lado de Vilma de Faria, candidata do PSB que está apoiando contra o candidato do PTB, Fernando Freire, que, neste segundo turno, tem o apoio de PMDB e PSDB, Lula disse que vai andar por todos os Estados que tenham um candidato – mesmo que não sejam do seu partido – que seja contra a política que levou o País a afundar e está sendo defendida e colocada em prática por seu adversário.

“Nessa hora não se pode vacilar porque, se não tomarmos posição, eles irão se perpetuar no poder”, disse. Para fazer a campanha de Lula à Presidência neste segundo turno, o PT do Rio Grande do Norte teve de superar diferenças com a candidata que agora apóia.