Washington (EUA) – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou há pouco que quer uma solução definitiva para a situação dos controladores de tráfego aéreo até a próxima terça-feira. Uma greve da categoria na noite de ontem (30) provocou atrasos de vôos, cancelamentos e confusões em vários aeroportos.

Lula chegou a Washington no final da noite de ontem e ficou sabendo da mobilização quando ainda estava no avião presidencial. Ele disse que após desembarcar, conversou com o vice-presidente, José Alencar, o comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, e os ministros Paulo Bernardo (Planejamento) e Waldir Pires (Defesa) até 1 hora da manhã de hoje.

?Estou voltando ao Brasil. Espero que as coisas se normalizem até amanhã e, na terça-feira, vamos tomar uma decisão final?, afirmou o presidente, que retorna ao país hoje à noite, após encontro com o norte-americano George W. Bush.

Lula disse que a crise no setor aéreo é fruto de um problema de gestão antigo e que não pode aceitar que os controladores deixem milhares de passageiros esperando por horas no aeroporto, mesmo que seja por melhores condições de trabalho.

?As pessoas que têm uma função considerada essencial precisam ter mais responsabilidade do que outras. Quando eu era dirigente sindical e queria decretar greve nas empresas, tinha determinados setores que a gente decidia que não iriam parar, porque era importante para a produção do serviço que era essencial?, afirmou Lula.

O presidente ressaltou, no entanto, que é importante atender às reivindicações dos controladores e, ao mesmo tempo, reestruturar o setor aéreo brasileiro. Também defendeu o comandante da
Aeronáutica e ponderou que está no cargo há pouco tempo ? tomou posse no dia 28 de fevereiro.

?O brigadeiro Saito é um homem de qualidade. É um brigadeiro extraordinário. É um militar exemplar. Não podemos achar que tenha alguma responsabilidade. É uma coisa estrutural que nós temos que resolver. É um problema meu, do brigadeiro Saito, do ministro da Defesa, dos controladores e da sociedade brasileira, que não pode ser vítima de determinados comportamentos?, disse.