Roosewelt Pinheiro/ABr
Lula e o ministro Palocci no
3.º Fórum Internacional de Microcrédito.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recomendou há pouco, aos bancos, que abram os cofres e coloquem o dinheiro “na mão do povo” para virar consumo e emprego. O presidente, junto com a rainha Sofia da Espanha, participou da abertura do 3.º Fórum Internacional de Microcrédito, que se realiza até quarta-feira (8) no hotel Blue Tree Park, em Brasília. Sobre o microcrédito, Lula disse aos banqueiros que não se preocupem em emprestar dinheiro, porque “pobre paga ? ele não vai fugir, até porque não tem para onde ir”.

Para o presidente, dinheiro existe para entrar em circulação, e pela parcela mais pobre, “principalmente no mundo excludente de hoje”. Lula citou o programa Caixa Aqui como exemplo da grande demanda por crédito pela população de baixa renda. A expectativa do programa, que beneficia a faixa da população sem conta em banco, segundo ele, era atender um milhão de pessoas até o final do ano e até agora já são 700 mil. O presidente lembrou que desde o início de seu governo tem tentado alertar a sociedade brasileira para assumir outro comportamento, chamando a atenção para a criatividade, já que o dinheiro está curto. Na opinião de Lula, agora o setor financeiro, público e privado, resolveu assumir a responsabilidade com as pessoas de baixa renda.

A rainha Sofia, da Espanha, reconheceu o esforço do presidente Lula no combate à pobreza, com políticas que incluem o microcrédito. Informou que atualmente o programa beneficia em todo o mundo 50 milhões de pessoas, que assim estão saindo da indignidade e da pobreza. Para Lula a participação da rainha na abertura do fórum significa o compromisso de seu país na ajuda a outros povos em busca da cidadania.

O Programa de Microcrédito implantando pelo governo brasileiro estabelece que 2% dos depósitos bancários à vista sejam destinados para este fim, o que poderá atingir R$ 1,1 bilhão neste ano. Podem se beneficiar com o microcrédito pessoas físicas de baixa renda com saldo mensal inferior a R$ 1 mil, as incluídas no Programa Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza; e pessoas físicas ou jurídicas microempreendedoras. O valor do crédito para pessoas físicas é de no máximo R$ 500,00 e de até R$ 1.000,00 para microempreendedores. As taxas de juros efetivas não podem exceder 2% ao mês.