O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, disse hoje (24) que o Programa Universidade para Todos (ProUni), do Ministério da Educação, chegará à marca de 243 mil jovens carentes atendidos até junho. O programa fornece bolsas de estudo totais ou parciais em universidades particulares para estudantes mais pobres. Em contrapartida, essas instituições têm benefícios fiscais.

Lula destacou que 38% destes estudantes são negros que, segundo o presidente, antes eram marginalizados e não entravam em universidades brasileiras. Em discurso em visita às obras dos Jogos Panamericanos de 2007, no Rio de Janeiro, ele também destacou a expansão da rede de ensino superior federal, com a criação de quatro novas universidades e de 42 extensões (campus universitários) no interior.

"Estamos levando as universidades das capitais para o interior do país. Não é o aluno que tem que correr atrás da universidade, com gente do Piauí vindo estudar no Rio de Janeiro. O que queremos é que o interior do Brasil também tenha o direito de ter as universidades brasileiras", disse.

Segundo ele, muitas cidades brasileiras não têm opção de ensino superior e nem de educação profissional. Isso faria com que houvesse uma perpetuação das desigualdades sociais, uma vez que alguns têm a chance de ser "engenheiro", enquanto outros "ficavam faxineiros".