Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, no programa Café com o Presidente, que o Brasil está brigando na Organização Mundial do Comércio (OMC) para defender mais os interesses dos países pobres do que os seus próprios. "O Brasil está brigando muito menos em defesa do Brasil. Porque o Brasil tem competitividade, tem tecnologia. O Brasil não tem medo de disputar com nenhum país do mundo. O Brasil já está garantido, porque o Brasil tem competência para produzir, tem conhecimento, tem tecnologia e tem qualidade. Agora, tem países que não têm", disse. Lula também cobrou uma postura mais generosa dos países ricos em relação às nações menos desenvolvidas.

Na reunião da OMC que terminou este final de semana, em Hong Kong, o Brasil liderou o grupo de países emergentes que briga pelo fim dos subsídios dados pelos países ricos – especialmente a União Européia – a seus agricultores. Esses subsídios impedem que o Brasil e outras economias emergentes ocupem maior espaço no comércio mundial de produtos agropecuários. Os europeus queriam a garantir de abertura dos mercados emergentes para seus produtos antes de concordarem com a redução dos subsídios. "O que estou percebendo é que os países ricos aprovaram as Metas do Milênio mas estão fazendo muito pouco para dar uma ajuda aos países pobres que precisam do estender de mão dos países ricos", disse o presidente.

Ao citar a reunião de Hong Kong, Lula defendeu a redução dos subsídios como única forma de os países mais pobres atingirem as metas do milênio – grupo de objetivos assinados por 198 países para reduzir a pobreza pela metade até 2015. "Têm países que dependem única e exclusivamente da sua produção agrícola. Vamos pegar países pobres da América Latina, vamos pegar países da África, que se o mundo rico não abrir o seu mercado para que eles possam vender o algodão que produzem, o açúcar que produzem o milho que produzem, essas pessoas não poderão cumprir as Metas do Milênio", afirmou Lula.

Ao contrário, disse o presidente, o Brasil poderá cumprir as Metas do Milênio por sua própria conta. Lula citou o prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, o ODM Brasil, entregue na semana passada a 27 experiências de combate à fome e à pobreza, como exemplo de ações que estão acontecendo e que ajudarão o País a alcançar as metas.