"As eleições estão bem encaminhadas." A avaliação é do próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao responder a uma pergunta do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, há pouco mais de uma semana na reunião que mantiveram em São Petersburgo, na Rússia.

Assessores do Palácio do Planalto que estiveram no encontro relataram o conteúdo da conversa ocorrida às margens da reunião do G-8.

Assuntos como a situação política da América do Sul e as questões comerciais fizeram parte ainda da agenda dos dois presidentes.

Bush, porém, foi quem levantou o tema das eleições de outubro. Lula teria passado uma mensagem de tranqüilidade ao presidente americano sobre o processo eleitoral e sobre suas chances de vitória. Mas disse estar "sempre atento" à situação.

Em resposta aos comentários de Lula, Bush brincou e contou que nos EUA a oposição também já o havia colocado em um "caixão político". "Obviamente que eu não estou nesse caixão", afirmou Bush a Lula.

Diplomatas que acompanharam a conversa se disseram impressionados com o conhecimento de Bush sobre as tendências na América do Sul e com a sua descontração ao lado de Lula. O americano chegou a alertar os países sul-americanos a não permitir o "isolamento" do Equador

Bush disse também que será necessário "manter o diálogo" com o governo de Evo Morales, na Bolívia, e pediu a ajuda de Lula. O presidente, por sua vez, pediu então que Bush fizesse sua parte e renovasse o acordo de preferências comerciais com os países andinos para também ajudar a situação econômica na região. Lula sugeriu que a Bolívia fosse incluída nos planos de ajuda dos Estados Unidos em áreas sociais.

A respeito da Venezuela, Lula contou a Bush que vem dialogando com o presidente Hugo Chávez para convencê-lo de que a América do Sul precisa de fato se fortalecer, mas não para enfrentar outros países.

O presidente brasileiro também insinuou crítica a Bush e o alertou que não adiantava pedir que o Brasil continuasse o diálogo enquanto veta a compra de aviões militares da Embraer pelos venezuelanos. O presidente brasileiro lembrou que Caracas acabou comprando os jatos da Rússia. "Entendi o seu ponto", disse Bush.