Brasília – A promoção do desenvolvimento local e regional no Brasil e a adaptação de políticas públicas e estratégias utilizadas pelas regiões italianas serão discutidos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o vice-ministro de Relações Exteriores da Itália, Donato Di Santo, hoje (26), no Palácio do Planalto.

Eles discutirão o estágio atual do protocolo de cooperação entre o governo brasileiro e as regiões italianas de Úmbria, Marche, Toscana e Emília Romana, assinado em 2004. A Secretaria de Imprensa e Porta-Voz da Presidência da República informou, que o protocolo traz eixos de cooperação distribuídos por temas. A Úmbria é responsável pelo desenvolvimento econômico; Marche vai atuar nas políticas sociais; a Toscana vai contribuir com a economia da cultura e do turismo, e a Emília Romana vai tratar do cooperativismo.

De acordo com a Secretaria de Imprensa e Porta-Voz da Presidência da República, a visita do vice-ministro de Relações Exteriores da Itália, Donato Di Santo, se insere no contexto dos esforços de aproximação entre Brasil e Itália. No ano passado, o presidente Lula esteve em Roma, onde visitou a Confederação Nacional das Indústrias Italianas (Confindústria), fortalecendo as relações econômicas e de comércio bilateral. Em junho, o ministro-chefe da Secretaria-Geral, Luiz Dulci, esteve na Itália, ocasião em que discutiu o estreitamento das relações bilaterais, especialmente nos campos de bioenergia, científico e tecnológico.

Apenas em 2005, o comércio entre Brasil e a Itália registrou US$ 5,5 bilhões, com um superávit de US$ 947,3 milhões para o Brasil. Hoje, a Itália é o oitavo país de destino das exportações brasileiras e o nono país importador para o Brasil. O montante acumulado dos investimentos italianos na economia brasileira cresceu cerca de 300% na última década, transformando a Itália no quinto mercado fornecedor de investimentos externos diretos (IED) para o Brasil.