O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em visita oficial à Itália, recebeu ontem (16) na embaixada brasileira representantes da L?Unione ? a coligação de partidos da esquerda italiana. Giuliano Amato, Massimo D?Alema e o favorito das primárias, Romano Prodi são candidatos à sucessão do primeiro-ministro Silvio Berlusconi nas eleições do primeiro semestre de 2006. Aproximadamente 15 milhões de italianos devem comparecer às urnas e os líderes da esquerda estão preocupados em garantir o acesso da enorme colônia italiana que vive no Brasil.

Além das eleições italianas, o grupo também conversou sobre a Amazônia. Os italianos se colocaram à disposição para colaborar com o processo de preservação da floresta amazônica, tanto do lado brasileiro quanto do lado peruano. Eles propuseram a criação de um fundo internacional para desenvolver atividades sustentáveis na área da floresta.

O presidente se encontrou também com 300 representantes da sociedade civil italiana. Ele estava acompanhado pelos ministros do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, da Educação, Fernando Haddad, do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, das Relações Exteriores, Celso Amorim, e da Secretaria-geral da Presidência da República, Luiz Dulci, além do assessor para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia. Na ocasião, Lula falou das ações do seu governo na área social e destacou a importância das relações bilaterais com a Itália.