A campanha de Luiz Inácio Lula da Silva pela reeleição para a Presidência vai insistir na afirmação de que seu adversário, o candidato tucano Geraldo Alckmin, vai privatizar a Petrobrás e o Banco do Brasil, disse nesta segunda-feira (9) o líder do PT na Câmara, deputado Henrique Fontana (RS). "Não é terrorismo analisar. Se o governo dele vendeu parte do setor elétrico, vendeu a Vale do Rio Doce e a Telebrás, foi um governo ‘privatizador’. Vou medir as pessoas pelo programa que aplicaram", disse Fontana.

Ele deixou claro que o PT e a campanha de Lula continuarão a fazer associação entre Alckmin e a venda do patrimônio público. "Alckmin vai ter dificuldade em passar para a população (a idéia de) que vai lutar contra as privatizações. Quem vendeu a Vale por que não poderia vender a Petrobrás?", questionou o líder.

O deputado enfatizou que, no programa de Fernando Henrique Cardoso quando era candidato à Presidência, a privatização da Vale do Rio Doce não estava incluída, mas nem por isso deixou de ser feita quando ele exerceu o governo. Fontana afirmou ainda que a estratégia da campanha de Lula será a de deixar nítida a comparação entre o que fez Fernando Henrique e o que fez Lula. "Até o dia 29 (de outubro), todo mundo vai saber que ele (Alckmin) representa Fernando Henrique e vai fazer o mesmo governo do ex-presidente", afirmou.