Os governos do Brasil e da Gâmbia firmaram, nesta terça-feira, três acordos de cooperação em decorrência da primeira visita do presidente gambiano, Yahya Jammeh, ao país. Lula recebeu Jammeh no Palácio do Planalto no início desta tarde.

O primeiro acordo trata do intercâmbio de programas, técnicas, informações e bolsas de estudo na área esportiva. O documento tem validade de três anos e pode ser prorrogado por igual período.

O segundo cria a Comissão Mista de Cooperação Brasil-Gâmbia, que vai buscar e orientar a cooperação nos setores econômico, científico, tecnológico e cultural. As reuniões serão realizadas a cada dois anos, nas capitais dos dois países (Brasília e Banjul), alternadamente. O prazo da comissão é de cinco anos e pode ser renovado por igual período.

O último acordo prevê as regras e normas que o Brasil e o país africano deverão obedecer em futuros projetos comuns. A validade do acordo é de cinco anos, com prorrogação de igual duração.

Os acordos fazem parte da estratégia do governo do presidente Lula de aproximar o Brasil da África. O comércio com a Gâmbia ainda é inexpressivo para o Brasil. As exportações somaram US$ 30,947 milhões e as importações US$ 4,438 milhões no ano passado, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O governo gambiano tem interesse na agricultura, ciência, tecnologia e indústria aeronáutica brasileiras. Está prevista uma apresentação sobre a Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) para a comitiva do presidente Jammeh.