O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez nesta quinta-feira (19) mea-culpa por não ter melhorado, no primeiro mandato, a qualidade de vida dos 700 mil índios. "Tudo o que não aconteceu de 2003 a 2006 a gente fará acontecer até 2010", afirmou Lula em discurso durante solenidade no Palácio do Planalto com a presença de vários índios, tendo à frente o cacique txucarramãe Raoni. "Neste novo mandato, vamos fazer as coisas que não fizemos.

Animado pelo barulho de chocalhos, o presidente chegou a reclamar da falta de "civilidade" da sociedade nacional em relação aos povos nativos. "Temos de tornar a relação entre brancos e índios mais democrática e civilizada", disse. "O índio é um cidadão brasileiro, tem o direito de entrar no palácio do governo e ser atendido.

O presidente fez também promessas. "Vocês terão no segundo mandato muito mais atenção do governo", disse Lula. "Não queremos transformar vocês em brancos, mas transformar a sociedade", completou. No final da solenidade, o presidente evitou responder a uma pergunta sobre a desnutrição infantil na região de Dourados, Mato Grosso do Sul, que só neste ano já causou a morte de duas crianças de até dois anos, segundo relatório da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).