Em reunião com o Conselho Político, hoje pela manhã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que não vai atender o acordo negociado na última sexta-feira com os controladores de vôo, enquanto a situação nos aeroportos não se normalizar. Segundo relato de um dos presentes, foi perguntado ao presidente o motivo de ter ignorado a hierarquia, deixando a Aeronáutica de lado, no momento da negociação. O presidente, segundo a fonte, não admitiu ter errado na condução do processo, e limitou-se a dizer que daqui para frente quem vai conduzir a negociação é o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito.

"O acordo não será cumprido. O presidente vai enfrentar os controladores, com ou sem greve", disse uma das fontes. Ainda segundo relato de um dos participantes, Lula foi taxativo ao afirmar que são 20 mil sargentos e não dá para o governo atender 2 mil e deixar o restante sem ser atendido. Os parlamentares saíram desse encontro convencidos de que o presidente está muito seguro na sua posição.

Lula informou ainda que fará um pronunciamento à Nação caso o movimento dos controladores de vôo recrudesça. A informação sobre a declaração de Lula é do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), um dos participantes do encontro. A notícia de que Lula poderia fazer um pronunciamento foi antecipada ontem pela Agência Estado e pelo jornal "O Estado de S. Paulo".