Não é exagero afirmar que a liderança de Lugano é fundamental para o São Paulo. Quando o zagueiro não está em campo, especialmente nos jogos pela Copa Libertadores, a insegurança da defesa aumenta, assim como a apreensão dos torcedores

Por isso, a experiência e a confiança do uruguaio são reforços importantes contra o Chivas. "Vamos enfrentar uma pressão muito grande, mas temos de estar tranqüilos, porque vamos decidir a vaga em casa", observou o zagueiro, que desfalcou o time na sofrida vitória sobre o Estudiantes, na semana passada. "As falhas que mostramos contra os mexicanos na primeira fase não vão se repetir agora.

Lugano sabe o que diz. Nas derrotas por 2 a 1 diante do Chivas, o São Paulo sofreu os quatro gols em jogadas idênticas, através de cruzamentos para a área. "As duas partidas foram decididas em falhas individuais", aponta o zagueiro. "Mas foram duas partidas muito equilibradas, tanto no México quanto no Morumbi", opina. "Espero que desta vez a sorte esteja do nosso lado.

O defensor afirma que o São Paulo respeitará o adversário, que conta com vários jogadores que disputaram a Copa do Mundo pela seleção mexicana. Porém, garante que o time do Morumbi vai impor seu estilo no Estádio Jalisco. "Não viemos aqui só para nos defendermos. O São Paulo é o atual tricampeão da Libertadores, tem muita história e uma camisa muito forte", comenta. "Por isso temos de fazer uma grande exibição para vencermos e ficar mais perto de uma outra final.

Na chegada a Guadalajara, o zagueiro da seleção do Uruguai foi o jogador do São Paulo mais procurado pelos repórteres, especialmente os de rádio e televisão – logicamente em razão do idioma.

Apesar de visivelmente abatido, em razão das 15 horas de viagem da capital paulista até o México, deu vários autógrafos e tirou fotos com torcedores, quando os companheiros já estavam dentro do ônibus, em direção ao hotel. "A viagem foi cansativa, mas isso não vai nos atrapalhar", garante. "Temos mais de 24 horas para nos recuperarmos.