O delegado seccional de Ribeirão Preto, Benedito Antonio Valencise, informou hoje (25) que o juiz da 3ª Vara Criminal do município, Paulo César Gentile revogou a liminar de habeas-corpus concedida por ele mesmo, em 4 de agosto, que impedia o indiciamento do presidente do Grupo Leão Leão, Luiz Cláudio Ferreira Leão no dia seguinte. Dessa forma, na próxima semana Leão será intimado a comparecer novamente na delegacia, onde será indiciado por formação de quadrilha, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro no inquérito que apura fraudes em licitações do lixo em cidades paulistas e mineiras. Outros três ex-funcionários da empresa já foram indiciados pelos mesmos crimes: Wilney Barquete (ex-presidente da Leão Ambiental), Fernando Fischer (ex-gerente comercial da Leão Ambiental) e Rogério Tadeu Buratti (ex-vice-presidente do grupo). Amanhã à tarde o ex-diretor comercial da Leão Ambiental, Marcelo Franzine, irá depor e também deverá ser indiciado.