Num encontro realizado ontem na residência oficial da Presidência da Câmara e que terminou depois da meia-noite, os líderes da base aliada deixaram claro ao presidente da Câmara, Severino Cavalcanti, que a situação é difícil e que o panorama é muito adverso, mesmo diante dos argumentos de que não teria culpa nas acusações feitas pelo empresário Sebastião Buani. Para preservar as condições físicas de Severino, os líderes vão esperar a sua decisão que poderá ocorrer até segunda-feira e não vão mais pressioná-lo. "O panorama é adverso, mas temos de deixá-lo decidir sossegado e escolher o melhor caminho. É uma decisão pessoal", afirmou o líder do PP, deputado José Janene (PR).

Severino Cavalcanti informou aos líderes que passará o fim de semana em Brasília com sua família. Segundo avaliação de parlamentares ele ainda resiste à idéia de renúncia tanto do cargo de presidente como do mandato parlamentar, mas tem deixado claro que quer tomar uma decisão após avaliar todos os aspectos da situação política.