A Copa Libertadores da América, maior torneio da América do Sul, também sentiu os efeitos da crise do futebol internacional. O número de clubes não diminuiu, são 32 times – 30 sul-americanos e dois mexicanos -, como ocorre há quatro anos. Mas as cotas que recebem sofreram uma redução de 30%. Em 2002, foram distribuídos US$ 29 milhões. Na 44ª Libertadores que começa nesta terça-feira, às 21h10, com Grêmio e Pumas (México), em Porto Alegre, a premiação será de US$ 20 milhões. O Brasil entra com quatro times: Santos, Corinthians, Grêmio e Paysandu.

A televisão foi apontada pelos dirigentes dos clubes como a grande vilã na queda de investimentos. Até o ano passado, o campeão faturava cerca de US$ 4 milhões das cotas de transmissão e prêmios do patrocinador (Toyota). O time que levantar a taça de 2003 terá direito a, no máximo, US$ 2,5 milhões. A TV Globo (canal aberto) e a Fox do Brasil (canal fechado) têm os direitos de transmissão.