A nadadora australiana Lisbeth "Libby" Lenton bateu nesta terça-feira o recorde mundial dos 100 metros livre, na abertura de uma prova de revezamento do Duelo na Piscina, um desafio entre as seleções da Austrália e dos Estados Unidos, dois dias depois do encerramento do Mundial de Esportes Aquáticos.

A marca de 52s99, no entanto, ainda depende de homologação da Federação Internacional de Natação (Fina), pois foi batida numa prova mista, com homens e mulheres, que não faz parte do programa oficial da natação – e na outra raia, ao lado de Lenton estava ninguém menos do que Michael Phelps. "Foi uma prova limpa e a Fina disse que o recorde valeria", afirmou o presidente da Federação Australiana, Glenn Tasker.

A piscina usada na Olimpíada de Sydney, em 2000, recebeu ao mesmo tempo os dois principais atletas do Mundial disputado em Melbourne, donos de 12 medalhas de ouro – 7 de Phelps, que bateu cinco recordes mundiais, e 5 de Lenton, que venceu entre elas os 100 m livre, mas só tinha batido um recorde, na prova do revezamento 4 x 100 m livre. Nesta terça, ela baixou em 31 centésimos a marca da alemã Britta Steffen, batida no Campeonato Europeu do ano passado, em Budapeste, na Hungria.

Perguntada sobre o que conversou com Phelps no bloco de largada, Lenton foi bem humorada. "Só baboseiras. Eu acho que ele estava com medo de mim", brincou. "Ele me deu boa sorte, e eu vou lembrar pelo resto da minha vida que nadei contra Michael Phelps", completou depois. Mesmo com o recorde, ela chegou bem atrás do norte-americano, que marcou 48s72. Ainda venceu, no desafio, os 50 m livre e os 100 m livre.

A Austrália ainda venceu a prova mista, mas os Estados Unidos levaram a melhor no desafio, com 181,5 pontos a 129,5. Phelps, para não perder o costume, obteve duas vitórias, nos 100 m livre e nos 200 m costas.