Foto por: Valery Hache

O camisa 10 da seleção brasileira, Kaká, afirmou após a vitória apertada de 2-1 sobre a Coreia do Norte nesta terça-feira, que o primeiro jogo nunca é fácil em uma Copa do Mundo.

¨A gente já sabia da dificuldade de um jogo de estreia¨, afirmou Kaká à imprensa na zona mista.

Apesar da atuação nada criativa da seleção, Kaká afirmou que o Brasil criou muitas oportunidades. Também elogiou a atuação da Coreia do Norte, especialmente no primeiro tempo.

O craque comemorou o fato do Brasil ter estreado com vitória e disse acreditar que a equipe vai melhorar com o avanço da Copa.

Também se declarou feliz por ter jogado 70 minutos, depois de se recuperar de uma lesão muscular que prejudicou sua primeira temporada no Real Madrid. Há cinco meses, Kaká não atua durante 90 minutos em uma partida oficial. Nesta terça-feira ele foi substituído por Nilmar quando o Brasil vencia por 2-0.

Kaká, o mais aplaudido no Ellis Park de Johannesburgo durante o anúncio das escalações, não correspondeu em campo, mostrando um futebol muito diferente do apresentado na Copa das Confederações de 2009, também disputada na África do Sul.

O armador também não lembrou o craque que encantou o mundo em 2007 e que arrasou nos prêmios individuais (Bola de Ouro e Fifa World Player) daquele ano.

No duelo entre o pentacampeão brasileiro e o time mais desconhecido entre os 32 que disputam a Copa, Kaká teve problemas para dinamizar o jogo ofensivo de sua equipe, chocando, vez por outra, contra a férrea muralha asiática.

Foi impreciso, inclusive, sem a intervenção dos adversários, com um passe muito longo para Elano (22) ou com constantes faltas de coordenação com outros companheiros.

Kaká tentou se mover com certa liberdade pelo campo, em busca da bola, mas não conseguiu salvar uma noite ruim.

O gol de Maicon tranquilizou o Brasil, mas as coisas não mudaram para o jogador do Real Madrid.

Finalmente, Dunga decidiu substituí-lo perto do fim, aos 33, por Nilmar, e o jogador chegou ao banco com um grande sorriso no rosto abraçando todos seus companheiros, sabendo que o importante em uma Copa não é como ela começa, e sim como termina.

O Brasil tem sua próxima partida no domingo contra a Costa do Marfim, em um duelo onde já pode conquistar matematicamente uma vaga para as oitavas-de-final. Para Kaká, será uma nova oportunidade, apesar de ter de enfrentar zagueiros mais experientes.