Será prorrogada por cinco dias a prisão temporária dos envolvidos na Operação
Quati, realizada pela Polícia Federal semana passada, em Foz do Iguaçu. A
Justiça Federal decidiu pela prorrogação atendendo a pedido da Polícia Federal,
que detém três suspeitos.

A identidade dos presos, um advogado, uma
contadora e um funcionário do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). ainda
permanece sob sigilo. Eles estão sendo investigados por fraude em recebimento de
benefícios e aposentadorias irregulares, que lesava os cofres do INSS em valores
ainda não totalmente apurados.

Segundo a delegada Ilienara Karas, que
preside o inquérito, um prazo maior vai permitir a conclusão de diversas
diligências. Depois, os presos serão interrogados novamente, em função de fatos
novos surgidos com os primeiros interrogatórios.

Funcionários do INSS da
Força-Tarefa de Curitiba devem chegar hoje a Foz do Iguaçu para iniciar a
análise dos documentos apreendidos. Segundo a delegada, as investigações devem
durar mais 15 dias.