Foto por: Karim Jaafar

O goleiro da seleção brasileira, Julio Cesar, que recebeu atendimento médico dentro de campo depois de salvar um gol quase certo de Raul Meireles no segundo tempo do 0-0 contra Portugal nesta sexta-feira, disse que o problema não teve maiores consequências e que a proteção que usava por baixo do uniforme, uma espécie de cinta, é algo habitual.

¨Foi um lance em que ele dividiu comigo ali e não sei se foi por querer, acredito que tenha sido sem querer. A gente acabou se enrolando e ele acabou me tocando nas costas, mas não tem mais marca, está tudo bem¨, disse o camisa 1 do Brasil.

Ao ser questionado sobre a proteção vista por baixo do uniforme, o goleiro tentou mudar de assunto.

“Vamos deixar isso para lá … faz parte do meu material, é uma proteção, para me sentir seguro psicologicamente¨, disse Julio Cesar, que garantiu sempre usar a proteção na Inter de Milão, principalmente no frio.

Em seguida, o goleiro comentou a partida contra Portugal, que garantiu o primeiro lugar do Brasil no Grupo H.

¨Foi um jogo bom, valeu pelo primeiro lugar do grupo porque não era uma chave fácil, a gente sabia disso, todo mundo sabia. Acho que para um começo de Copa do Mundo foi importante. Agora é fácil dizer, mas foi importante pegar uma chave assim, para sentir o clima da Copa¨, disse.

O goleiro também comentou o início da fase eliminatória da Copa, com as oitavas de final.

¨É uma fase que todo mundo gostaria de jogar, seleções de tradição, como Itália e França, que voltaram para casa mais cedo. Uma fase gostosa, ao mesmo tempo que dá aquele friozinho na barriga, aquela ansiedade, mas uma fase que para ser campeão tem que passar¨, destacou

Julio Cesar não quis especular sobre possíveis rivais do Brasil nas próximas fases, mas foi taxativo.

¨Estamos bastante confiantes para chegar à final independentemente do adversário¨, disse.