O governador do Acre, Jorge Viana, pediu desculpas aos petistas e tucanos paulistas para afirmar que a política de São Paulo não pode contaminar o país. "O confronto de São Paulo não pode ser maior do que o país", afirmou, referindo-se às supostas negociações de um dossiê para atingir o candidato ao governo José Serra.

Segundo o governador, o presidente Lula não pode ser o credor do escândalo do dossiê, pois é quem está pagando a conta. "Ele é a principal vítima desta armação e isso a imprensa não diz", afirmou.

Em entrevista enquanto votava nesta manhã, no prédio da Assembléia Legislativa, Viana disse acreditar na vitória do presidente Lula no primeiro ou no segundo turno. "Caberá ao povo destruir o palanque deste conluio de elites", disse ele.

Uma vez reeleito, o governador disse que o presidente deverá fazer uma depuração do PT e destruir o seu próprio palanque para reconstruir o partido. Viana disse que, na condição de vitorioso Lula deverá buscar entendimento com outros partidos para garantir a governabilidade. "O gesto mais nobre (para o entendimento) tem que vir do vencedor", afirmou.