O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, deverá permanecer no cargo, segundo técnicos do Ministério da Fazenda. Em conversa ontem (30) com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, ele teria sido a permanecer no posto. Pesou na decisão do ministro a competência com que Rachid vem desempenhando suas funções.

Ao manter Rachid, Mantega optou também por não criar turbulências no comando de uma estrutura complexa, que responde não só pela arrecadação de impostos e contribuições federais como também das contribuições ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Praticamente toda a arrecadação federal está sob o comando da Receita e uma descontinuidade no trabalho poderia ter efeitos desastrosos sobre o caixa. Por essa razão, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci também evitou mudanças drásticas no comando da Receita. Rachid era um dos adjuntos de Everardo Maciel, titular do cargo no governo passado.

Rachid assume na segunda-feira a presidência do Centro Interamericano de Administrações Tributárias (Ciat), que reúne 36 países. O organismo realiza sua assembléia-geral a partir do dia 3 em Florianópolis (SC). Os cerca de 300 participantes discutirão o tema "A Arrecadação Potencial como Meta da Administração Tributária."